Declaración FIPU

Congresso Internacional de Paz pelo cesse bilateral ao fogo e o desenvolvimento

Vozes da América e Europa se pronunciaram nesta quarta feira em favor dos diálogos de paz entre o Governo e as Farc e consideraram urgente acordar o cesse bilateral ao fogo que evite o derramamento de sangue no país.

Vozes da América e Europa se pronunciaram nesta quarta feira em favor dos diálogos de paz entre o Governo e as Farc e consideraram urgente acordar o cesse bilateral ao fogo que evite o derramamento de sangue no país.

2015/ Maio 6/ Por: REMAP | Tradução em português: Elkin Pçaez

Vinte convidados internacionais e cerca de duzentos delegados de processos culturais, políticos e sociais assistiram ao Congresso Internacional Propostas para Paz e o desenvolvimento. O evento teve lugar em Bogotá dentro das instalações do Clube de executivos da torre Tequendama e contou com a participação de panelistas da Ucrânia, Peru, Chile, Argentina e Colômbia.

“Um sucesso rotundo é o balanço do congresso. Organizações de distintos países tivemos cita em Colômbia e concluímos que para alcançar a paz com justiça social é necessário apresentar e adiantar propostas para o desenvolvimento que tragam equidade aos setores excluídos da sociedade”, expressou Alejandro Toro, integrante do comité organizador do evento.

O Congresso foi um cenário para todas as vozes do conflito. A insurgência das FARC também manifestou seus desejos de conseguir a paz. Em vídeo conferência este grupo guerrilheiro respondeu perguntas dos assistentes e expressou sua vontade de continuar procurando saídas políticas e dialogadas à guerra e a necessidade de devolver a voz ao povo através da realização de uma nova Assembleia Nacional Constituinte.

Saudação Delegação de Paz das FARC ao Congresso

O ELN também manifestou seu compromisso com a paz e a necessidade de que esta chegue por meio da conquista da justiça social. Porém a diferencia das FARC, atualmente este grupo guerrilheiro não mantém uma mesa de diálogos instalada com o Governo. A respeito María Cecilia Mosquera, vítima desta guerrilha em fatos acontecido durante 2004 no corregimento de Machuca, departamento de Antioquia, denunciou o abandono que padecem as vítimas da sua comunidade por parte do Governo, e sem ódios e em infinito ato de valor e reconciliação, expressou a necessidade para que o ELN e o Governo se sentem a dialogar. “Por que não sentam a negociar a ver se descansamos de tantas angustias, tantas amarguras que padece o povo colombiano”, afirmou a líder comunitária que padece o rigor da guerra.

Decisões políticas e humanitárias ocuparam as intervenções, tomando o humanitário um papel protagonista em um tema pontual: dialogar no meio da guerra. Esteban Silva, escritor e presidente do Movimento Allendista de Chile, destacou como “importante a decisão do cesse ao fogo unilateral das FARC”, e convidou ao Governo a tomar decisões que apontem a redução gradativa do conflito, onde o cesse bilateral ao fogo foi uma exigência pontual dos assistentes.

Propostas de suma importância lançou o congresso para continuar trabalhando em favor da paz com justiça social, a formação de um Conselho Latino Americano de acompanhamento a paz da Colômbia foi uma delas, e a qual aponta a parar o derramamento de sangue no país e resolver as causas políticas, sociais e culturais que deram origem aos alçamentos armados em Colômbia.

Foto: Falleny Vergara | Desenvolvimento do Congresso Internacional de Paz. 
Etiquetas:

Publicar un comentario

MKRdezign

Formulario de contacto

Nombre

Correo electrónico *

Mensaje *

Con la tecnología de Blogger.
Javascript Disable Please Enable Javascript To See All Widget